O que é realmente verdade? Quais são os fatores que podem causar a queda de um avião?

Visando esclarecer um pouco sobre o assunto, separamos os 7 mitos e verdades sobre a queda de um avião que valem a pena conferir:

7Dependendo da turbulência um avião pode ser derrubado

Mito. As turbulências são de fato assustadoras, pois os aviões estão cerca de cerca de 10 mil metros do chão. Aqueles movimentos parecem que o avião irá se estraçalhar, mas a verdade é que uma turbulência dificilmente causa um acidente aéreo.

As asas e toda estrutura do avião são minuciosamente elaboradas para resistirem às forças muito maiores do que as turbulências e, por esse motivo, você não precisa se preocupar: apenas mantenha-se sentado e calmo, evite entrar em pânico pois caso o “chacoalhão” te derrube, você poderá se machucar.

6O celular pode causar a queda do avião

Mito. Muitas pessoas acreditam que o uso do celular durante o voo pode causar interferências nos equipamentos presentes na cabine do avião. Claro que existe a possibilidade disso acontecer, porém em testes recentemente realizados, as possibilidades são quase inexistentes.

No programa Caçadores de Mitos, do Discovery Channel, esse assunto serviu como um tema durante um episódio, em que os caçadores testaram equipamentos diversos e frequência nenhuma foi detectada.

Entretanto, com a tecnologia sendo cada vez mais moderna, é bom evitar o uso e seguir corretamente as instruções da companhia aérea, apesar de algumas delas já permitirem o uso de 3G nos ares.

5Essa porta pode ser aberta acidentalmente durante o voo

Não é novidade lermos notícias em que os passageiros em suas crises de pânico tentaram abrir as portas da aeronave em pleno voo, em meio a grande histeria.

Porém abrir essa porta é praticamente impossível, especialmente pelo modo que ela foi desenvolvida. Depois de fechada, a porta possui extremidades maiores do que a abertura, de modo que um grande esforço será preciso para que essa porta seja aberta.

A pressurização dentro da cabine sela a porta como parte do corpo da aeronave e ela se torna muito difícil de ser aberta.

Entretanto, existe um relato de 1989 que aponta falhas elétricas no mecanismo das travas e nove passageiros foram sugados para fora de um voo sobre o Pacífico em pleno voo. Desde que isso aconteceu os mecanismos foram modificados e por essa razão as chances de alguém abrir por acidente ou com pouco esforço são basicamente nulas.

4Os raios podem derrubar um avião

Verdade. Um raio pode sim derrubar um avião, porém as chances disso acontecer são quase nulas, por conta do monitoramento dos controladores de voo.

O último acidente por um raio foi registrado em 1967, quando o fenômeno atingiu a aeronave e casou a explosão do tanque de combustível. A partir daí as técnicas de proteção foram aprimoradas pela fuselagem de um avião, que funciona como uma “gaiola de Faraday” capaz de proteger tudo o que há dentro da aeronave.

Os aviões modernos também possuem sistemas de proteção anti raios, de modo que você não precisa ficar em pânico, já que essas condições são quase impossíveis de acontecer.

3Todos os acidentes aéreos são fatais

Mito. Muitos sobreviventes de desastres aéreos não deixam esse mito persistir. Além do avião ser considerado o meio de transporte mais seguro do mundo, há 95,5% de chances de sobrevivência a uma queda de avião, conforme uma pesquisa realizada pela National Transportation Safety Board. Os dados analisados mostraram que das 53,4 mil pessoas envolvidas em desastres aéreos de 1983 a 2000, 51,2 mil sobreviveram.

A real ameaça reside nas próprias pessoas que, por acreditarem que não há chances de sobrevivência, não tentaram se salvar durante o acidente, colocando as máscaras e seguindo os procedimentos adequados.

2A posição de impacto

Durante os pousos emergenciais, seja em terra ou em água, o passageiro deve adotar a posição de queda (ou de impacto) e essa posição, ao contrario do que os conspiracionistas acreditam que é para “aumentar o risco de morte para impedir que a empresa pague longos tratamentos”, é de fato algo que salvou muitas vidas.

Um caso recente foi o do voo US Airways 1549, que teve de pousar forçadamente no rio Hudson, em Manhattan. As 155 pessoas a bordo que sobreviveram estavam sem ferimentos graves porque respeitaram essa instrução dada.

1O Triângulo das Bermudas

Existem diversas fontes que afirmam que os aviões e navios somem nessas regiões, seja por conta de “atividades extraterrestres e monstros marinhos” ou mesmo pelas explicações mais cabíveis como redemoinhos mortais ou condições climáticas extremas.

A causa desses desaparecimentos provavelmente está por trás dos mares tropicais com péssimas condições climáticas e certamente essa era a causa dos desaparecimentos no passado.

Hoje em dia, por conta dos métodos de controle de voo e embarcações, não existem registros de desaparecimentos, de modo que você pode voar por lá sem medo de que algo bizarro aconteça. No Google Maps você pode conhecer esse triângulo.