Você entra no banheiro feminino de um restaurante e percebe que não há nenhum espelho. Sobre a pia, produtos de beleza, como batons e rímel e um convite para que você experimente a linha de maquiagem da Vult.

É possível que você fique confusa a primeiro momento. “Como assim me maquiar sem espelho?”, talvez você se pergunte.

Essa não é uma situação imaginária, se trata de um experimento da Vult Cosmética em parceria com o site Razões para Acreditar e o Instituto Laramara (Associação Brasileira de Assistência à Pessoa com Deficiência Visual).

Algumas mulheres foram pegas de surpresa com esta cena descrita acima no banheiro feminino do restaurante Piola, em São Paulo.

O QUE ACONTECE QUANDO ELAS NÃO CONSEGUEM SE MAQUIAR SEM SE VER NO ESPELHO?

Elas receberam uma ajuda mais do que especial para conseguir se maquiar sem se ver.

Ana Claudia (do Instituto Laramara), que é deficiente visual, deu algumas dicas para as mulheres surpreendidas com a situação.

“O objetivo é desmistificar o que as pessoas acham que elas são, ou não, capazes de fazer”, publicou a Vult no Facebook.

Veja o resultado do experimento “Beleza Além dos Olhos“:

Emocionante? Sem dúvida!

Em vez de dizer a uma pessoa com deficiência visual que não ela pode ou achar que ela não pode fazer alguma coisa, empoderá-la é a atitude mais humana que podemos ter.

Crédito: Vult/Facebook

EMPODERAMENTO E AUTOESTIMA

Pensando no empoderamento e na autoestima das mulheres com deficiência visual, o curso de automaquiagem foi outra iniciativa fruto da parceria do Instituto Laramara, do salão Jacques Janine e da Vult, ministrado pela maquiadora Chloé Gaya.

As participantes receberam produtos com descrição em braille e aprenderam a identificar seus traços pelo toque.

O curso, que é realizado na sede do instituto, já teve duas edições e terá novas turmas para 2017.

Como será que as mulheres se sentiram? Confira o vídeo:

A maquiagem também pode ser símbolo de independência, como é para a youtuber Lucy Edwards, que vive em Birmingham na Inglaterra e é deficiente visual.

Ela criou o seu canal Yesterday’s Wishes para mostrar que as pessoas com deficiência visual realmente podem ter uma vida normal.

Quando tinha 11 anos, Lucy ficou cega do olho  direito por causa de uma rara doença, que embora estivesse na genética das mulheres de sua família, sua mãe e avó não manifestaram.

A perda da visão no olho esquerdo aconteceu aos 17 anos.

Crédito: Lucy/Reprodução de vídeo do Youtube

Eu quis ficar positiva“, contou ela ao BuzzFeed. “Por isso que eu estou no Youtube, na verdade.”

Alice, a irmã de Lucy, trabalhou com ela para criar uma rotina de maquiagem.

O processo não foi fácil e levou cerca de um ano para que a youtuber se sentisse confortável se maquiando sozinha.

Para Lucy, se maquiar a faz se sentir bem consigo mesma e lhe dá um senso de independência:

“Porque eu estou me deixando bonita, isso faz eu me sentir melhor sobre mim mesma por dentro. Eu sei que a mídia tem um monte de lixo sobre se você precisa de maquiagem e assim por diante. Eu não acho que eu preciso especialmente, mas é apenas uma coisa que me faz sentir bem comigo mesma. Isso me faz sentir que eu estou no controle.”

Veja um vídeo dela:

Há quem questione como ela consegue fazer isso.

E a verdade é, por que ela não poderia? Isso vale para tod@s nós. Quem disse que não

Compartilhe!